André Brasil treina forte para as paraolimpíadas do Rio e valoriza treinos com Cielo

André Brasil tem 21 medalhas já no seu currículo em paraolimpíadas, André é Heptacampeão paraolímpico, daqui a pouco vai começar um dos seus desafios maiores, as paraolimpíadas do Rio de Janeiro, o nadador brasileiro vai tentar ajudar a levar o Brasil para o top 5 no quadro de medalhas e está confiante, André está com 32 anos e precisa ter um cuidado maior pois já teve cinco hérnias de disco. Ele já treinou com Cesar Cielo nos Estados Unidos e se compara a um vinho: Quanto mais velho melhor.

André Brasil treina forte para as paraolimpíadas do Rio e valoriza treinos com Cielo

André Brasil treina forte para as paraolimpíadas do Rio e valoriza treinos com Cielo

André Brasil diz que está no bloco mais difícil

André é o atual campeão paraolímpico nos 50m, 100m livre e 100m borboleta pela classe S10 e vai disputar mais cinco provas no Rio de Janeiro, mas se sente mais preocupado, ele afirma que é diferente desde quando começou até agora, que ele está em outro momento da vida dele, não pretende aposentar, mas essa será a ultima com resultados.
“Estou agora no bloco mais difícil. É diferente de quando eu comecei, há oito, dez anos… Me vejo como um bom vinho, um pouco mais apurado, mais consciente das coisas que precisam ser feitas, e muito mais preocupado com o futuro do que com o agora. Eu sei que a gente tem muita coisa a fazer. Longe de mim querer encerrar a minha carreira, mas esta será a minha última com resultados. Quero participar em 2020 (em Tóquio, no Japão). Quero que o meu filho entenda o que o papai fez. Mas eu acho que o André de hoje é muito mais preocupado com o futuro. Quando eu era jovem, eu queria mudar o mundo. Hoje, eu sei que o mundo começa a ser mudado dentro de casa. E esse é o André.”

André já foi considerado inelegível para as disputas paraolímpicas

André que teve paralisia infantil por causa de uma reação a vacina e passou por oito cirurgias para poder não usar cadeira de rodas, logo após de quebrar seu recorde mundial de 50m livre, em 2005, ele foi considerado inelegível para as paraolimpíadas, mas conseguiu vencer isso e hoje é um dos maiores atletas das paraolimpíadas.