Inquérito sobre o falso assalto dos nadadores é concluído, e Ryan Lochte é indiciado por falsa comunicação de crime

Terminou nessa quinta-feira o inquérito da Policia Civil do Rio de Janeiro a apuração do falso assalto dos nadadores da delegação americana nas olimpíadas do Brasil, de acordo com a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (DEAT) o nadador americano Ryan Lochte está sendo indiciado por falsa comunicação de crime, as conseqüências dessa “brincadeira” podem ser grandes, o americano pode ser condenado a pagar multa ou até mesmo seis meses de detenção.

Inquérito sobre o falso assalto dos nadadores é concluído, e Ryan Lochte é indiciado por falsa comunicação de crime

Inquérito sobre o falso assalto dos nadadores é concluído, e Ryan Lochte é indiciado por falsa comunicação de crime

Próximos procedimentos a serem feitos

Como o trabalho com os policiais acabaram agora vai ser encaminhado o inquérito para o Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos e o Ministério Publico, nesse relatório é sugerido ao Poder Judiciário uma carta que seja enviada ao nadador para poder comunicar sobre os procedimentos, provavelmente vai ser enviadas copias dos autos para a Comissão de Ética do Comitê Olímpico Internacional (COI). Segundo o delegado do caso a carta deve demorar chegar ao nadador, porem ele tem que vim para o Brasil, caso contrario vai ser julgado sem chance de se defender, e corre o risco dele ser processado por danos morais, pelo dono do posto, que ainda vai depor na policia, sem data marcada.

Relembre o que aconteceu nesse caso

Ryan Lochte estava com mais três nadadores e disseram que foram assaltos na saída da Casa da França, no Rio de Janeiro, alegaram que os bandidos estavam com armas e distintivos de policiais, e pararam o taxo que eles estavam e roubaram alguns pertences. Mas dias depois essa historia foi desmentida, já que os quatro nadadores americanos estavam sobre efeito de álcool e pararam em um posto aonde quebraram muita coisa e arrumaram confusão com os funcionários, mas sem indicio de roubo.