Terezinha Guilhermina recorda que começou a praticar esporte por falta de emprego

Nas paraolimpíadas vamos pode acompanhar uma atleta completa do atletismo, Terezinha Guilhermina, que é grande esperança de medalha para o Brasil no atletismo, Terezinha já conquistou dois ouros, em Pequim 2008 e Londres 2012, e ela pretende aumentar a sua galeria de medalhas aqui no Rio de Janeiro, mas a atleta poderia ter outra historia, se depois que ela se formou psicóloga na faculdade tivesse arrumado emprego, hoje não poderíamos ver Terezinha nas pistas.

Terezinha Guilhermina recorda que começou a praticar esporte por falta de emprego

Terezinha Guilhermina recorda que começou a praticar esporte por falta de emprego

Terezinha entrou no atletismo, pois não tinha emprego na sua área

Terezinha se formou na faculdade de psicologia, mas depois que terminou os estudos não conseguia arrumar emprego nessa área. Nessa época o governo estava abrindo programa de esportes para deficiente visual, ela tentou primeiro natação, pois tinha um maiô, mas ela queria mesmo corrida, quando contou pra irmã que não tinha tênis, ela emprestou e começou o treinamento com apenas 22 anos. A primeira prova que participou foi de 500m e ficou em segundo lugar, ganhando R$ 80 e ela se recorda que com esse dinheiro, foi ao mercado e comprou o iogurte favorito dela, pois quando criança os pais dela não tinha dinheiro. Depois em 2012 veio a estreia dela nas pistas, nas provas de 100m, 200m e 400m rasos.
E hoje ela é uma estrela das pistas, e já tem seis medalhas Paraolímpicas, sendo três ouros, uma prata e dois bronzes. Aos 37 anos ela diz que está treinando por mais tempo, pois os rivais de pistas são mais jovens que ela.